Biscoitos de polvilho e chia e o retorno das férias.


Ah... voltar de férias! Aquele sentimento agridoce de quem já estava a ficar um pouco farta de lavar o cabelo todos os dias depois da praia, mas que ainda não está disposta a prescindir do chinelo no pé. Esta semana no Algarve foi arrancada a ferros, entre o conciliar da minha agenda com a da minha orientadora, as necessidades dos gatos e o meu receio que, mal me veja a mais de um quilómetro longe da tese, nunca mais volte a pegar-lhe. Esta parte final faz lembrar aquela última fatia do bolo que ninguém quer comer: se por um lado a vidramos todos com um olhar guloso, por outro mal seja dada a última dentada, não passa de uma recordação. Estou no limbo, como sempre. Será que me apeguei demais a esta vida e me custa deixá-la ir?

Como me contava uma amiga joalheira há uns tempos atrás, ela arrastava e adiava sucessivamente o momento em que entregava as peças durante o curso de joalharia. A partir dessa altura, tudo o que há para fazer está feito e não há nada pior do que sermos julgados, na nossa totalidade, apenas com base num fragmento do que realmente somos. E depois, alguém me diz o que se segue? Acho que nunca considerei efectivamente o dia seguinte à entrega da tese. Vou fazer o quê? Gostava de entrar de férias novamente, mas como diz um amigo meu, quem não trabalha não tem férias. E tão bem que esta geração sabe disso, especialmente aqueles que como eu caíram no buraco negro da precariedade aliado a um investimento na sua formação académica que nos seus piores pesadelos nunca adivinharia este desfecho.

Entretanto deixo-vos com estes biscoitos de polvilho e chia, uma receita da Bela Gil. Para quem me conhece sabe que sou uma grande fã desta cozinheira, e para quem me conhece ainda melhor, sabe que a encontrei pessoalmente há umas semanas atrás quando veio lançar o seu livro a Portugal. O evento ocorreu num final de tarde na Livraria Buchholz ao qual estive quase a faltar porque o sentimento de culpa me cola à cadeira sempre que estou muito tempo longe do teclado do computador (o qual, descobri nos últimos meses, não serve apenas para escrever doutoramentos, mas também para me levar aos mais recônditos cantos da internet onde posso perder-me durante horas antes de começar a escrever o que quer que seja!).

Porém, ainda bem que o fiz. A sala estava cheia até rebentar pelas costuras. A Bela Gil tem imensos fãs portugueses e brasileiros radicados em Portugal também. Os funcionários foram acrescentando cadeiras e cadeiras até que os últimos a chegar não tiveram outro remédio senão ficar de pé. A autora foi apresentada, falou um pouco sobre a sua relação com a alimentação saudável e a dimensão política de nos alimentarmos bem, e depois fez-se uma longa fila de fãs com quem Bela Gil se sentou uns minutos, tirou fotografias e autografou os livros. Obviamente que eu tenho uma fotografia com a dita senhora, tirada pelo seu marido, e o livro autografado pela autora e com desenhos de corações e estrelas pela mão da sua filha... Porém não vou divulgar porque estou com cara de estúpida (alguns diriam que é a minha cara habitual... ahaha... têm toda a razão).

Só gostava que a Bela Gil tivesse passado por cá esta semana em que em vez de uma profundas olheiras e uma pele seca pela exposição ao ecrã do computador, tenho um doce tom bronzeado e os cabelos levemente aloirados. Estou giríssima, as férias fizeram-me mesmo bem, suas invejosas!!! Não só a Bela Gil merecia o meu melhor, como teríamos ambas ficado com uma fotografia que tanto eu como ela poderíamos vir a mostrar aos nossos descendentes. Infelizmente nada disso será possível e resta-me esperar ansiosamente pelo próximo encontro enquanto como estes biscoitos de polvilho deliciosos, saudáveis e muito originais.



~ Ingredientes ~

receita adaptada de Bela Gil

250g de polvilho azedo
200ml de água
100ml de azeite
1 colher de café de sal
2 colheres de sopa de sementes de chia
1 ovo

Ferver 150ml da água e adicionar o azeite. Juntar as sementes de chia e o polvilho, aos poucos. Retirar do lume e bater a massa ainda quente com um ovo e o resto da água fria que se deve adicionar lentamente também.
Ligar o forno nos 200º e preparar um tabuleiro com papel vegetal. Com a ajuda de um saco de pasteleiro formar círculos com a massa. Levar a assar 15m. Repetir até terminar a massa toda.

NOTA: sugiro que reduzam as quantidades porque com esta receita fazem um grande número de biscoitos, os quais, por sua vez, no dia seguinte ficam muito pouco crocantes.

Tempo de preparação: 30m
Dificuldade: fácil
Serve: 10

Comments

  1. que ricos biscoitos,...
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ReplyDelete
  2. Esses biscoitos devem ser uma delicia, gostei muito.
    Bom fim de semana

    ReplyDelete
  3. Hummm levo esses biscoitos comigo. Ando a tentar mudar alguns ingredientes na minha refeição.

    Beijinhos,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2017/08/moelas-estufadas-com-rose.html

    ReplyDelete
  4. Que boa ideia :D ansiosa por experimentar, até porque quando começou a surgir a febre da Tapioca, ainda não havia em Portugal à venda, e encontrei alguém a sugerir fazer tapioca com polvilho azedo, fui a correr comprar, não consegui fazer nada, e tenho lá o polvilho a estragar-se! Agora, graças a ti, já tenho uso para lhe dar :D Beijoca*

    ReplyDelete
    Replies
    1. sim, dá para hidratar e fazer a tal goma, mas eu só experimentei com fécula de mandioca. tens a receita aqui no blogue e tens estas todas com polvilho para dares mais uso a esse pacote ;) : https://limited-edition-since2012.blogspot.pt/search?q=polvilho

      Delete

Post a Comment

Popular Posts